Anitta, Fernanda Lima e Lucas Lucco famosos que enfrentam uma saúde mental abalada

0
77

Reconhecimento profissional, beleza, amor, dinheiro e sucesso. Talvez essa seja a fórmula certa para uma vida perfeita. Para Anitta, Lucas Lucco, Fernanda Lima e outras 322 milhões de pessoas no mundo, não.  Segundo a Organização Mundial da Saúde 5,8% dos brasileiros sofrem com depressão ou outros transtornos mentais como ansiedade e síndrome do pânico.

Essa semana, no programa Bem Estar da Globo, a cantora Anitta falou abertamente sobre seu problema com a depressão: “Eu tive depressão pela primeira vez, bem no inicio da carreira, acho que eu tinha uns dezoito anos, e sempre que eu ficava muito mal eu achava que tinha um motivo – Ah! É porque alguém está falando mal de mim, Ah! Porque alguma coisa deu errado. Até que veio o “Vai Malandra” e que tudo deu muito certo, e eu não tinha nada do que reclamar, mesmo assim eu não estava feliz, ai então, ascendeu a minha luzinha”, relembra a cantora.

“Era bem difícil sair de casa, era bem difícil levantar da cama, eu não conseguia atender as pessoas no camarim” relata Anitta, que revela estar tomando anti-depressivos, fazendo tratamento, deu uma desacelerada na agenda, e ainda ressalta:”É uma coisa que a gente tem que ficar cuidando sempre, não é porque você está bem agora, que você tem que esquecer de olhar pra você. Não!”

Anitta também revela que o estímulo de competição da carreira faz um círculo vicioso, onde a pessoa cria um “buraco”. A cantora pop lembra da auto-cobrança pelo corpo perfeito: “Acho que um dos motivos de eu ter entrado numa depressão total é porque eu nunca estava satisfeita com meu corpo”.

“Até que um dia eu falei: Chega! vou mostrar, eu tenho celulite, e elas estão ai… e está tudo bem, tenho outras coisas que compensam” finaliza.

Anitta também comentou sobre o lançamento do clipe de sua nova música em inglês: “Goals” que entre os versos diz: “Brilhe! O resto das estrelas estão te assistindo, você é incrível, é única o tempo todo.”

Outra estrela que relata ter sofrido com a depressão é a apresentadora Fernanda Lima. Logo que trocou o canal musical MTV pela Globo, em 2007, Fernanda Lima foi desafiada a fazer uma novela,”Bang-Bang”, carro-chefe da emissora. A apresentadora relembra que a enxurrada de críticas negativas fizeram ela chorar por diversas vezes:

Fernanda Lima no Amor & Sexo (Foto: Reprodução)
Fernanda Lima no Amor & Sexo (Foto: Reprodução)

“Novela é uma pedrada. As pessoas não me perdoaram, foi porrada em cima de porrada. É difícil não entrar em depressão nessas horas. Eu me segurei muito na ioga, mas tive momentos de chorar no chão, deitada em posição fetal.” disse para o jornal O Globo, de 2010.

Fernanda Lima está casada com o também ator e apresentador,  Rodrigo Hilbert e tem um casal de gêmeos: João e Francisco de 10 anos. Fernanda segue firme na ioga.

Lucas Lucco (Foto: Reprodução)

O cantor e ator Lucas Lucco, teve que diminuir a sua participação na temporada de Malhação em 2016. Porém, sua depressão começou no final de 2015: “A depressão para mim não tem cura, tem controle. Hoje em dia uso do meu estilo de vida, da minha alimentação e de mais um monte de coisas para me manter bem equilibrado. Se cercar de pessoas boas, energias positivas e Deus no coração, sempre. Estar com Deus no coração é a resposta para tudo”, disse o cantor para o TV Fama da RedeTV! (2017).

Ricardo Boechat comanda o Jornal da Band (Foto reprodução)

Em 2015, o jornalista da Band Ricardo Boechat teve um “surto depressivo agudo” e abandonou a apresentação do programa de rádio minutos antes de entrar no ar: “eu simplesmente sofri um colapso, um apagão no estúdio”, e “nenhum texto era compreensível”. Após o ocorrido, o jornalista foi ao médico com sua esposa e recebeu o diagnóstico de depressão.

“A depressão não escolhe vítimas por seu grau de instrução ou situação econômica. Castiga sem piedade e da mesma forma pobres e ricos, anônimos e famosos”, diz Boechat.

Abaixo você confere um vídeo do Dr. Drauzio Varella explicando detalhadamente sobre depressão e o importante uso de antidepressivos, quando receitados.

Faça um comentário:

comentários